Notícia - Anel de diamantes que vale R$ 4,8 milhões é chave para investigar mulher que gastou fortuna em loja
 Msn Notícias Publicou uma notícia no dia:15/01/19 12:37:17

Anel de diamantes que vale R$ 4,8 milhões é chave para investigar mulher que gastou fortuna em loja



Um anel de diamantes avaliado em mais de 1 milhão de libras (cerca de R$ 4,7 milhões) foi apreendido pela Agência Criminal Nacional britânica no rastro da investigação sobre uma mulher que gastou o equivalente a R$ 76,2 milhões na loja de luxo Harrods.

O anel foi encontrado em uma joalheria de luxo por policiais que investigam a origem da imensa riqueza de Zamira Hajiyeva. 

Zamira é a primeira pessoa no Reino Unido a ser submetida a uma investigação de riqueza inexplicada (Unexplained Wealth Order, em inglês). Trata-se de uma medida judicial cujo objetivo é rastrear dinheiro obtido eventualmente por meio de corrupção e guardado no Reino Unido por servidores e mandatários de governos estrangeiros - ou seus familiares.

Hajiyeva, que nega qualquer irregularidade, é casada com Jahangir Hejiyev, um banqueiro do Azerbaijão. Ele foi condenado e preso por capitanear uma fraude massiva contra um banco estatal em seu país.

Zamira Hajiyeva na rua: Zamira Hajiyeva: fortuna sob investigação© BBC Zamira Hajiyeva: fortuna sob investigação

Caso Hajiyeva não consiga apontar uma origem legítima para sua imensa fortuna no Reino Unido, a Agência deve confiscar a casa dela em Knightsbridge - um distrito de Londres, onde também fica a loja da Harrods - e seu campo de golfe em Berkshire. 

Anel precisava de reparos

À Justiça, os investigadores disseram em audiência que o anel de diamantes foi apreendido na última sexta-feira, depois de ser localizado numa loja da joalheria Cartier. Os investigadores pediram para que o bem fique retido pelos próximos seis meses, aguardando o desfecho das apurações.

O anel é descrito como contendo um diamante de 8,9 quilates.

Foi comprado pelo marido de Hajiyeva por 1,19 milhão de libras (ou R$ 5,6 milhões). Em julho passado, a filha do casal, Leyla Mahmudova, levou a peça para receber reparos na joalheria Cartier.

Hajiyeva - que agora luta na Justiça não só para manter sua casa, mas também para evitar ser extraditada para o Azerbaijão - não enviou advogados para a audiência a respeito do anel. O bem acabou retido.

"Há evidências claras ligando o sr. Hejiyev ao anel, e ele foi condenado por fraude massiva. Para mim, é o suficiente para acreditar que este bem possa, depois de terminado o processo, ser revertido em indenização ou reparação", disse o juiz do caso, Michael Snow.

A decisão judicial significa que o anel ficará retido pela Agência Anticrime até que fique clara qual é a origem do dinheiro e dos bens de Hajiyeva.

Em novembro passado, a Agência já tinha apreendido o equivalente a R$ 1,9 milhão em joias, que tinham sido levadas a leilão pela filha de Hajiyeva. Estes itens - 49 peças - ficarão em poder dos investigadores pelo menos até maio. 

  • Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!